Seis casos de HIV são diagnosticados em Araxá

 Seis casos de HIV são diagnosticados em Araxá

Reprodução

 

De acordo com a coordenadora do Centro de Testagem e Aconselhamento de Araxá, Roberta Duarte Silva, seis casos de infecção por HIV foram diagnosticados no município nas duas primeiras semanas de janeiro. Em balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Minas Gerais, no ano passado foram 3.516 casos de janeiro a novembro. As principais vítimas são jovens de 20 a 34 anos, totalizando 1.776 registros. Na classificação por sexo biológico, os homens foram maioria entre as vítimas de 2019, representando 2.739. Já as mulheres infectadas somam 777. Durante os 30 anos em que a contaminação pelo vírus HIV é registrada no estado, os casos ultrapassaram a marca de 62 mil. O grupo mais atingido nem sempre é o mesmo, no entanto houve aumento entre os jovens nos últimos dez anos.

 

A respeito dos seis casos em Araxá, Silva alerta que “para cada caso descoberto, pode ter nove atrás, que é a estatística do Ministério da Saúde”. As principais formas de transmissão do vírus são por via sexual, durante o parto ou amamentação. Outras formas são a transfusão ou contato com sangue contaminado; uso de drogas injetáveis e compartilhamento de seringas; e, materiais perfurocortantes não esterilizados. Portanto, a prevenção é através de uso de preservativo e atenção aos materiais cortantes e seringas. A orientação é que não se deve compartilhar.

 

Tanto o diagnóstico quanto o tratamento são feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O tratamento de homens é feito no próprio Centro de Testagem e Aconselhamento. Já as mulheres são encaminhadas para uma Unidade de Saúde do município. É importante reforçar que HIV e Aids não são a mesma coisa. Segundo a SES, o HIV é o vírus, mas a pessoa infectada não necessariamente chega a desenvolver Aids, que é a doença já em estágio avançado. A forma de evitar que o vírus leve à doença é seguir o tratamento.

Outras Notícias