Secretaria reforça necessidade das medidas de distanciamento social

 Secretaria reforça necessidade das medidas de distanciamento social

 

Segundo o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, a decisão sobre as medidas de distanciamento se mantêm inalteradas, ainda que sejam realizadas análises sobre o retorno às atividades comerciais, por exemplo. “Deve-se evitar aglomerações, reuniões de pessoas, mesmo em ambientes abertos. Em caso de necessidade de sair de casa, para ir a um supermercado, por exemplo, é importante manter a distância de pelo menos 02 metros das outras pessoas. Recomendamos ainda o uso de máscaras caseiras, em conformidade com o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde (OMS). Essas máscaras devem ser trocadas com frequência e lavadas após o uso. As máscaras cirúrgicas devem ser reservadas à proteção dos profissionais de saúde”, disse Amaral.

 

Orientação passada na tarde de ontem (06/04) durante coletiva de imprensa, que contou ainda com a presença do secretário adjunto Marcelo Cabral e do subsecretário de Vigilância em Saúde, Dario Brock Ramalho. O gestor destacou ainda que o Governo de Minas Gerais tem buscado ampliar a disponibilidade de ventiladores pulmonares; o aumento da capacidade de realização de exames de biologia molecular, com a agregação de 19 laboratórios à rede; e sobre possível aumento de números de casos com comprovação laboratorial nos próximos dias.

São elegíveis todos os prestadores de serviços de saúde do estado (públicos e privados, SUS e não SUS), que possuem leitos de UTI em condições técnico-operacionais e de recursos humanos para atendimento à população, conforme regras da Gestão do Sistema Único de Saúde em Minas Gerais e do edital. A SES-MG esclarece que, após julgamentos das solicitações de credenciamento, os resultados serão publicados, periodicamente, por meio do Diário Oficial Minas Gerais.

 

Farmácia de Minas – O secretário, Carlos Eduardo Amaral, destacou que a SES-MG está fazendo aquisição de medicamentos para que pacientes que fazem uso contínuo de medicamentos dispensados pelo Estado possam retirar quantitativos suficientes para períodos de até 03 meses, o que evitará a procura presencial para retirada. Além disso, está em estudo a entrega de medicamentos em domicílio para os pacientes dos grupos de risco.

Outras Notícias