Presos em operação Malebolge podem pegar até 43 anos de detenção

 Presos em operação Malebolge podem pegar até 43 anos de detenção

 

Por volta de 9h30 desta quinta-feira, dia 20 de agosto, mais pessoas tiveram a prisão temporária na Operação Malebolge. O filho do casal de sócios administradores da empresa de transporte investigada, de 23 anos foi o primeiro mandado a ser cumprido hoje, na segunda etapa da Operação desencadeada pela Polícia Civil de Minas Gerais. Ele estava em uma casa na rua Claudovino Rosa, no bairro Novo São Geraldo, passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal antes de ser levado até a Delegacia da Polícia Civil onde prestou depoimento. A segunda prisão foi de um profissional da área contábil, ele chegou às 11h no IML para fazer o exame de corpo de delito e depois prestar depoimento sobre a possível participação dele no esquema. A investigação, desencadeada no dia 11 de agosto, apura o envolvimento dos dois nos desvios de recursos públicos a partir de contratos de prestação de serviços de transportes com o executivo araxaense.

 

Ao todo nesta quinta-feira (20/08) foram cumpridos 03 mandados de busca e apreensão e outros 02 de prisão preventiva, além do bloqueio de bens e apreensão de veículos. Além das informações da segunda fase da operação o delegado Renato Alcino detalhou na coletiva realizada agora a pouco com a imprensa o trabalho realizado, até o momento, pela Polícia Civil de Minas Gerais nessa investigação.

 

Resultado primeira e segunda fase Operação Malebolge: 05 prisões preventivas, 07 prisões temporárias, 13 mandados de busca e apreensão cumpridos, 20 veículos apreendidos (um deles foi liberado, os demais permanecem apreendidos), 30 veículos bloqueados, 26 imóveis bloqueados, 02 empreendimentos / imobiliário horizontal.

Outras Notícias