Mulheres representam 47% dos empreendedores

 Mulheres representam 47% dos empreendedores

Ex-analista do Sebrae Minas, Andrea Marques Lima, hoje é empresária de sucesso

 

Ocupando um lugar expressivo no mercado, muitas mulheres têm bastante o que comemorar neste mês em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher, especialmente ao enfrentarem tantos desafios para alcançar um lugar de destaque. De acordo com a última pesquisa realizada pelo Sebrae, divulgada nesta semana, em 2020 as mulheres representam 47% do total de empreendedores formalizados no Brasil. A maior parte se dedica aos setores de alimentação, moda e beleza e trabalha predominantemente em casa (55%). Um exemplo de persistência é a empresária Thaís Cristina Nascimento de Deus.

 

Com apenas 12 anos, Thaís começou a realizar atendimentos de beleza em domicílio. “Depois, dividi minha casa e comecei a atender minhas clientes na área de serviço. Mas, com 19 anos, precisava dar um salto e me formalizei como Microempreendedor Individual (MEI) e, também, me capacitei ainda mais. Com 21, consegui abrir meu salão e fazia tudo: cabelo, depilação, coloração, unha, faxina e administração”, conta Thaís. Após o divórcio, ela começou a assumir uma nova postura, simbolizada pela transição capilar. “Tive que desenvolver estratégias para vencer, em todos os sentidos. Então, nasceu o Thaís Nascimento Beauty Studio, primeiro salão especializado em cabelo crespo e cacheado em Uberaba. Mudei a minha vida e a de milhares de mulheres”, conta a agora empresária que emprega 14 pessoas.

 

Já a empresária e consultora de negócios Andrea Marques Lima criou uma metodologia prática para ajudar empresários e potenciais empreendedores a efetivarem seus sonhos, eliminando medos e potencializando suas habilidades. “Fui analista do Sebrae Minas e, com toda a experiência que conquistei, criei o Espaço Mútua, justamente, para mostrar aos empresários o caminho para o sucesso”, explica. Em busca de conhecimento e especialização, viu a chance de investir no mercado do vestuário masculino e fundou em 2019 a Metaphor, onde fabrica camisetas básicas para homens. “Nós mulheres seguimos o primordial para o sucesso: só nos aventuramos quando conhecemos a área. Por isso, para nós nem é tão arriscado abrir um negócio, apesar do caminho ser mais desafiador”, acredita.

 

Desafios

Apesar de mostrar consciência e serem mais ponderadas, as mulheres ainda enfrentam muitos desafios. De acordo com a analista do Sebrae Minas Daiana Rodrigues, as mulheres se aventuram em menos segmentos. “São muitos desafios e um dos maiores é associar o negócio à maternidade. Por isso, geralmente, as mulheres empreendem mais em segmentos que ajudam a conciliar casa, trabalho e filhos”, pontua. A analista ressalta o programa “Sebrae Delas”, por apostar no empreendedorismo feminino. “O programa é um exemplo, pois está ajudando muitas mulheres a tornarem seus negócios mais competitivos, já que é estruturado em três pilares: ‘meu, eu, nós’. Os conceitos são desdobrados em ações de sensibilização, capacitação e fortalecimento de redes, que buscam mesclar os saberes e a força feminina direcionada aos negócios”, finaliza.

 

Outras Notícias